20 janeiro 2012

Amigos do Blog :)

Tracinhas, boa noite !!!

Sexta-feira, todo mundo já imaginando programas felizes para fazer ou mesmo pensando quanto tempo vai ficar na internet "jiboiando"...  rsrs. Então, que que amo muito vocês resolvi postar o "Amigos do blog " mais cedo. (não,não precisam ficar emocionados ... hihihi ).
Recebi do amigo seguidor aqui do Razão, o Victor Von Serran, um texto maravilhoso.
(Tenho ficado admirada como vocês meus seguidores escrevem tão emocionadamente, e como colocam de si quando falam sobre seus hábitos de leitura, vocês estão dando um show nessa minha coluna,obrigada )
Mas voltando ao assunto do texto de Von Serran, a meu pedido ele escreveu a importância que a leitura tem em sua vida, e pelo que li ,vi que o escreveu com sua alma, retirou de amago, lembranças lindas e nos enviou com carinho e amizade.

Este é nosso amigo e blogueiro Victor Von Serran


Vocês vão encontrar assuntos interessantes no blog dele AQUI ==> As Crônicas De Von Serran

Agora meus amores, vamos ao texto que ele nos enviou tão gentilmente.

 A importância da leitura na minha vida.

Com nove anos de idade, a grande verdade é que ninguém quer ler com afinco. Nessa idade você quer é brincar de pular corda, queimada, pique esconde, taco e um monte de outras brincadeiras que crianças brincam sem se cansar. Acredito que uma pessoa que comece a ler com essa idade se desinteresse pela leitura ou atrase seu interesse, a não ser, que comece pela grande exceção deste caso: Os Gibis.
Meus primeiros Gibis foram do Tio Patinhas. Eu lia e devorava todos a que tinha acesso, me acabava com os contos da Disney e tinha uma coleção imensa. Um dia comecei a ler turma da Mônica e também viciei. Também lia todos os semanais e quinzenais. Era uma fase da minha vida muito bonita, estava imerso naqueles universos.
Quando fiz 12 anos, me vi entediado. Então comecei a ler a Marvel e a DC Comics. Foi outra história de amor que durou até meus 16 anos, mas os gibis já não me satisfaziam como antes. Na escola éramos obrigados a ler “Memória Póstumas de Brás Cubas” e “Memórias de um Sargento de Milícias” e para mim, aquilo era uma tortura sem nome. Em vez de me motivar a ler, a escola na verdade, me afastou da leitura, e não só eu, como todo o corpo de alunos. Eles deveriam saber que adaptações são necessárias em livros lançados no século 19, e que ninguém gosta de ler aquilo com 16 anos.
Éramos quatro irmãos órfãos de pai e mãe, nessa época me vi obrigado a ajudar minha vó que nos socorreu, com as coisas da casa e fui procurar um emprego. Para minha grande sorte, fui trabalhar em uma banca de jornal, que era bem próxima a minha casa.
Era uma banca enorme, com aqueles estandes grandes, havia muita coisa interessante para ler, mas no meu caso, que já estava entediado com a leitura dos clássicos nacionais, acabei trabalhando sem me importar, e não li o que tinha acesso ali por um longo período.
 Até que um dia, um senhor de meia idade sentou em uma cadeira próxima a banca e começamos a conversar.
Era uma pessoa simpática, me perguntou o que achava de literatura, e disse que para mim era maçante. Então expliquei sobre os livros da escola e ele me disse que não era obrigado a ler os livros que os professores queriam impor, mas poderia ler com prazer os livros que eu escolhesse. Comprou um exemplar de Moby Dick do autor americano Herman Melville e me deu.
E nas tardes de sol, embaixo de um carro velho do pai de um amigo, eu comecei a ler aquele livro (ouvindo Led Zeppelin no Som do carro, mais tarde descobri que o Led tinha uma musica chamada Moby Dick) e comecei a pirar. Era maravilhoso entender a coragem e a fibra na versão de Melville. Ele citou Kafka, então fui ler Kafka, Kafka citou Victor Hugo, então fui ler Victor Hugo, Victor Hugo citou Shakespeare, então fui ler Shakespeare, e fiquei em um vicio interminável de indicações de livros por livros. O resultado era que pegava praticamente metade do meu salário na banca de jornal, porque acabei comprando um monte de obras de autores consagrados.
Era muito legal sentar nas rodas dos cdfs e opinar sobre leitura, eles ficavam de certo modo surpreendidos, porque apesar de ler, ainda fazia muita bagunça na escola. O tempo passou e o Vicio se consolidou. Hoje, fazendo faculdade não leio tanto quanto queria, mas sempre to lendo alguma coisa. Nessas férias consegui um tempinho para “Rumo ao Farol” de Virgínia Wolf. Recomendo.
Acredito que a leitura seja o passaporte para o sucesso, seja ele em qualquer setor ou atividade. As pessoas desvalorizam muito a literatura e, não entendem que não são as armas e nem os discursos que trazem as revoluções e sim as palavras. O mundo de hoje é tão alienado e distante, e os jovens se perdem em suas contradições, porém de certo modo ainda tenho um pouco de esperança. Que venham as mudanças, estando preparado ou não. Sei que existe alguém lendo Moby Dick em algum lugar do planeta, e isso me consola de certo modo. Um dia, tenho o sonho de escrever meu próprio livro, e espero realizar.

Gostaria de agradecer a Viviane pelo espaço e pela oportunidade de escrever este texto. Parabéns pela idéia e pelo incentivo a leitura. Deixo aqui um abraço sincero a todos, e espero que tenham gostado de saber por que a literatura é importante para mim.

Até mais!


Victor, te agradeço imensamente por ter se dedicado a escrever algo tão íntimo seu para os seguidores do Razão e Resenhas, muito obrigada,  só nos honrou ler esse lindo texto. Abraços.
Galera, leiam, apreciem e comentem, passem lá no blog do Victor, vocês vão curtir muito,  isso eu garanto .





Comente com o Facebook:

31 comentários:

  1. Uau, muito legal o que ele escreveu. Parabéns!

    Beijos,
    http://naminhaestanteliivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Amiga Viviane,amigo seguidor Victor,parabéns pelo texto,e pela bela iniciativa
    de convidar as pessoas para falarem aqui no seu site.Eu já tinha falado com vc por
    telefone Viviane,que acho essa coluna muito boa.Felicitações ao escritor convidado
    dessa vez.
    Abraços do amigo Paulo.

    ResponderExcluir
  3. O Rock sempre salvando almas... Kafka foi e é um fenômeno: foi por conta de sua morte, é por conta de sua imortalidade literária que ainda é lembrada, se não por intelectuais das letras, o é pelos nossos letristas "cocãos" do bom e velho Rock'n Roll... Abração e tem muita verdade esse seu texto. Gostei muito!!!

    ResponderExcluir
  4. Ola!
    Faço parte do Blogueiras Unidas e vim aqui te visitar...
    Meu numero é o 908. Seu blog está muito lindoo!!
    Já estou te seguindo...
    Espero sua visitinha no meu blog! Ficarei muito feliz em te receber lá!

    Passa lá e segue tb??
    http://lucasartedigital.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, obrigada pela visita,seria interessante vc comentar sobre a postagem tb.Obrigada \o

      Excluir
  5. Concordo com o Vítor.... na escola, o que fazem com os alunos é torturante... mas só nos anos posteriores é que se percebe a importância daquela "tortura"...
    ótimo texto... show de bola...

    www.cinemeirosnews.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomei birra de ler literatura brasileira clássica por causa das exigências das escolas tb . =/

      Bem vindo Alexandre.

      Excluir
  6. Nossa, muito legal mesmo o que ele escreveu! Me identifiquei bastante em questão dos clássicos que as escolas nos impõe ainda quando tão novos, e que de certa forma nos afasta mesmo da literatura. Ainda bem que assim como ele, tive um impulso de volta para esse mundo incrível! UHASUHSAUH'
    ótima coluna!

    @PollyanaCampos
    http://entrelivrosepersonagens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Pollyanna, pela sua presença e seu comentario . \o
      Beijos!

      Excluir
  7. Que texto lindo!!!Parabéns,Victor!A única coisa que me tortura é ver alguém falando mal de Memórias Póstumas de Brás Cubas..rsss..ah..um dos meus clássicos favoritos.Mas,concordo que na adolescência,esse tipo de leitura seja um pouco entediante.Mas,acredite é necessário!

    Bjs!
    Zilda Mara
    Cachola Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tinha de ter uma adaptação querida, ai estimulava os jovens a ler, hoje eu também gosto, mas na época ler coisas como,"eleveva ao ser indigente, tanta forma retrospecta que no caminho a la moeda, perdia-se em sua concepção trangressa"isso pra quem tem 16 anos é maçante, mas com maturidaded fui entender sua grande obra.

      Excluir
    2. Valeu sua presença Zilda, obrigada pelo comentário .

      Beijinhos.

      Excluir
  8. Tenho que começar este comentário fazendo quase uma ode a vocês dois!
    Tenho uma enorme admiração por você Viviane e pelo Victor, sou um fã confesso de seus respectivos blogs...

    Quanto à história de leitura do Victor eu nunca tive dúvidas, por trás de um bom escritor há sempre um leitor voraz! Parabéns aos dois pelo post!

    Confiram depois a minha história com os livros: http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2011/12/minha-historia-de-leitura-qual-sua.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras gentis J.Bruno, logo depois do almoço passarei para fazer comentários em seu blog *.*

      Beijinhos

      Excluir
  9. O que tenho a falar? Apenas que o caminho pode ter sido aleatório, mas, sem dúvida, a melhor rota. Que os livros sejam o apoio, a dúvida e a certeza.

    Beijos aos dois!

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo Luciana, obrigada por ter vindo comentar .
      Beijos.

      Excluir
  10. Que bacaaaaaaana Viviiiizinha! Adoro o Victor e achei muito legal a historia de leitura dele. Há algum tempo fiz uma postagem com minha história de leitura, tbem... instigando outras pessoas a fazerem as suas. E não é que surtiu efeito? Tanto que 4 amigos da blogosfera resolveram fazer seus posts contando a respeito, dentre eles o queridão José Bruno e a Jane Dos Anjos.

    Parabéns pela postagem... Adorei!!

    bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Joicy,quando comecei o blog eu já imaginei essa coluna como algo que fizesse os seguidores se expressarem, e dá bem certo.
      Adoro os textos que escrevem, sempre tão emocionantes .

      Beijinhos

      Excluir
  11. Primeira vez q venho aquii, rs.
    Realmente os livros da escola são muuuuito cansativos. Ler por obrigação não é bom! Muito interessante a história do Victor, gosto dos textos dele. Rs.
    Eu lia tanto, só agora que tô começando a ler de novo. E espero nao parar mais, rs.
    Bjs, parabéns pelo blog. E bem descontraído! (:

    ResponderExcluir
  12. Obrigada Anna, seja sempre bem vinda, que a visita se torne frequente e vc uma parceira blogueira \o
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Gostaria de agradecer a Viviane e a todos que postaram aqui, é com imenso prazer que digo, ler é o maximo de um ser humano,é a força conspiradora que muda destinos e culturas, palco das revoluçoes e ideias, o livro é a coisa mais importante criada na historia da humanidade.As consideraçoes foram muito positivas, e espero ter contribuido para o enriquecimento de nossa comunicação.Deixo aqui um abraço a todos e o meu muito obrigado por participar desta coluna tão legal do Razão e Resenhas !

    ResponderExcluir
  14. Olá Vivi!
    Simplesmente maravilhoso o texto do Victor,acho que o que foi relatado por ele infelizmente acontece com inúmeras pessoas,o fato dos alunos serem obrigados a lerem obras nacionais que muitas vezes são tão enfadonhas é totalmente desmotivador e normalmente atrapalha a vida de um leitor.
    Enfim o texto ficou bem especial,meus parabéns ao Victor.
    Um forte abraço!

    Bruno
    http://oexploradorcultural.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Bruno, por sempre nos visitar e ter esse carinho todo com o Razão.Beijos!

      Excluir
  15. Primeira vez que estou passando aqui! *-*

    Viviane, esse texto do Victor, a verdade transmitida, é realmente demais! Parabéns de verdade! :)
    Ler é simplesmente maravilhoso e apaixonante!!
    Uma vez lido, levamos para sempre um pouco do livro conosco!

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Caroline, muito obrigada e seja sempre bem vinda.Se lhe aprouver siga o blog e assine nosso feed, para receber as novidades por email.

      Beijinhos
      Vivi

      Excluir
  16. Gostei muito da história que o Victor tem com os livros! É uma evolução natural! Quando as mães e professoras reclamam dos Pokémon eu as faço abrir os olhos,seus filhos já são leitores estabelecidos! Nessas simples historinhas as crianças ampliam o leque de informações e como no caso do Victor uma coisa puxa a outra! Beijocas para vocês!

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para o blog, para que ele seja sempre melhor, se você se expressa as coisas fluem.Obrigada !!

*.* Curtam a fan page do blog no Facebook galera \o


Layout: Bia Rodrigues | Ilustração: Sheila Lima Wing | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©