25 janeiro 2014

Sétima Arte | Azul é a Cor mais Quente - Por Fabiana Maria

  Um filme que me chocou pela arte tão bela e pelo amor. Histórias de amor tão intensas me afetam muito. Pedi a nossa colaboradora que o resenhasse e espero que vocês assistam ao filme. Vamos a resenha então?


 Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma garota de 15 anos que descobre, na cor azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux), sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a este amor secreto, enquanto trava uma guerra com sua família e com a moral vigente.

Por que a Fabiana indica?


Adele tinha 15 anos, uma beleza simples daquelas que emergem sem a presença de qualquer esforço, um lugar garantido entre as garotas mais populares da classe e a atenção do garoto mais bonito e interessante da escola. A normalidade lhe caía bem como o improvável coque que fazia no alto da cabeça com um emaranhado de cabelo. Tudo comum, ordinário e previsível... até que, atravessando a rua, se depara com uma misteriosa garota de cabelo azul e não consegue mais parar de pensar nela, por menos que compreenda isso. Naquele sinal fechado, se abriu uma porta que mudou o rumo da vida de Adele (La vie d'Adele, aliás, é o título original do filme) para sempre.
Embora o romance central da história seja vivido entre duas mulheres (inclusive com cenas bastante fortes e sensuais, mas jamais gratuitas) esse filme não é sobre uma relação entre duas pessoas do mesmo sexo. É um filme sobre o relacionamento entre duas pessoas. Ponto. Por isso, não há como não se identificar completamente com ele, com a única condição de você já ter se apaixonado de verdade por alguém. 
Se a paixão vive de azul e de cores fortes, o cotidiano pode desbotar com o convívio. A intensidade e ambições de um contrastam com a regularidade e desejos modestos de outro. O temperamento, as amizades, os planos, as bagagens de ambos: tudo isso precisa se acomodar no mesmo quarto, dividir o mesmo banheiro, caber na mesma vida. As insatisfações vão consumindo o desejo, a cumplicidade, a comunicação. Os esqueletos vão consumindo o espaço do armário. Os segredos vão consumindo o sono da consciência leve. O "todo dia" vai consumindo o "pra sempre". E, como dizia o Soneto de Separação de Vinícius de Moraes, "De repente, não mais que de repente", tudo corre como água por entre os dedos, ainda que os sentimentos não tenham aprendido a passar. 
Ver "Azul é a cor mais forte" é sentir na pele, tomar partido, terminar o filme sem que ele termine dentro de você. O filme que deveria ser sobre A Vida de Adele, é um filme sobre a vida em si. Feita de azul e de todos os outros tons que trazemos em nós, dos mais alegres aos que não têm a menor graça, dos mais bonitos aos que preferimos esconder, dos amenos, dos intensos, dos tristes, dos neutros. Todos eles estão em Adele, em nós e no filme que, apesar de injustamente não ter sido indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro, é verdadeiramente imperdível!



Curiosidades sobre Azul é a Cor Mais Quente

Le Bleu est une Couleur Chaude é uma adaptação das histórias em quadrinho homônimas, escritas e desenhadas por Julie Maroh, e publicadas em 2010.


Outro detalhe curioso: apesar de todo o sexo explícito do filme, as atrizes usaram vaginas de mentira durante as filmagens. Elas eram coladas à pele, num longo processo de duas horas.

A entrega de Léa Seydoux e da novata Adèle Exarchopoulos a seus papéis foi um dos fatores que garantiram a Palma de Ouro à produção, em maio de 2013. No entanto, elas acusaram o diretor de adotar métodos tirânicos e traumatizantes. Mas a polêmica logo foi abafada pelo sucesso da história.


As atrizes na entrega da Palma de Ouro. *.*





✿❤❤❤❤❤✿


Espero que tenham curtido e assistam o filme. Na minha opinião um dos melhores que assisti em 2013  ^^
Beijos e até a próxima.









Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Oie Fabi e Vivi
    amo essa coluna, que bom que ela voltou.
    Gostei do trailler e da proposta do filme, nunca assisti nada parecido, mas parece ser muito bom. Vou tentar assistir esse mês ainda.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jacqueline! Obrigada!
      Estou vindo de colaboradora no blog da Vivi nessa coluna porque também sou louca por cinema!
      Assista, o filme é ótimo! Depois conta pra gente o que achou! Beijos!

      Excluir
  2. Nossa nem conhecia esse filme, conhecendo agora na postagem :)
    Bjs
    ttp://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a pena, Luiza! Me surpreendeu.
      Beijos,
      Fabí

      Excluir
  3. Olá meninas!!

    Acho que o filme deve ser mesmo interessante, quando colocado o que você falou, o relacionamento entre duas pessoas. Mas não sei se eu iria gostar. Gostei do nome dado a versão brasileira, mas me fazia imaginar outra coisa.

    Beijos,

    Marcelle
    www,bestherapy.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelle, também acho que o título em inglês e português (que é o mesmo), é muito pobre em relação ao original e ao próprio filme. Vale a pena dar uma chance! rs
      Beijos,
      Fabí

      Excluir
  4. Oi Fabiana,
    Eu fiquei bem curiosa em relação a este filme, principalmente por conta do título instigante e diferente. E ao saber mais da história através da sua resenha, fiquei curiosa, principalmente por se tratar de um tema que ainda é um tabu na sociedade, ainda mais de uma forma poética.
    Com certeza verei.
    Ótima resenha.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    P.S: Melhoras pra você Vivi, espero que sua mão melhore logo =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Yasmin! Muito prazer!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha. O filme merece mesmo ser visto!
      Beijos pra você e também desejo melhoras para a mão da Vivi! rs
      Fabí

      Excluir
  5. Oie Fabi! Eu já vi muita gente comentando super bem sobre o filme. E agora vendo o que você escreveu me deixou super curiosa, pois é um tema super polêmico, na atualidade, infelizmente. Vou ver se encontro na internet :D

    Obrigada pela dica flor...
    E um beijo para a Vivi que está dodói hehehe melhoras mulher!!! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane! Que bom que gostou! Esse filme me tocou profundamente. O tema é tabu e ele não pega leve com isso, mas se você for ver, o que ele tem de substrato é muito mais relevante. Você nem lembra mais no meio do filme se são mulheres, homens, japoneses, índios. Você se identifica totalmente.

      Beijo grande e obrigada pelo comentário!
      Fabí

      Excluir
  6. Ahhh eu fico imaginando a minha reação ao filme,a história de amor parece ser muito bonita e quero muito ver esse filme,apesar da temática não me agradar muito....

    Só leio ótimas dicas no RR !!!

    <3

    bjsss

    Bianca

    Eu amo essa série,o segundo livro não ficou devendo nada para o primeiro e eu pela sua resenha o terceiro também parece ser maravilhoso,acabei de comprá-lo e não vejo a hora de rever Cam,Amélia,Win e Meripen e conhecer a história de amor da fofa Poppy...

    Você me deixou saudosista e ansiosa Vivi...

    bjsss

    Bianca

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  7. Esse filme está na minha lista pra ser visto e em breve vou ver
    Beijinhos
    Renata
    Escuta Essa

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante para o blog, para que ele seja sempre melhor, se você se expressa as coisas fluem.Obrigada !!

*.* Curtam a fan page do blog no Facebook galera \o


Layout: Bia Rodrigues | Ilustração: Sheila Lima Wing | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©